Recife perde o consagrado maestro Rafael Garcia

O chileno, radicado no Brasil, faleceu nesta terça-feira (12), no Hospital Português, em Recife, aos 77 anos. Apesar da perda, fica a certeza de que o legado de cinco décadas dedicadas à música clássica nordestina e pernambucana, deixado pelo maestro Rafael Garcia, irá viver eternamente.
Ele iniciou sua trajetória em 1966, quando conheceu Ana Lúcia Altino, pianista com a qual se casou há 54 anos e teve seis filhos – Rafael, Leonardo, Marcelo, Grácio, Ana e Ricardo – e 12 netos. O velório acontece na quinta-feira (14), a partir das 16 horas, na capela central do Cemitério de Santo Amaro, Recife/PE. O seu sepultamento será no mesmo cemitério, na sexta-feira (15), às 11 horas da manhã.

>> Legado

Junto com sua esposa criou a Orquestra Filarmônica Norte/Nordeste, que reunia músicos de Salvador a Belém, e o VIRTUOSI, maior e mais perene festival de música de câmara, com 23 edições realizadas no Recife, Gravatá, Garanhuns e outras cidades do Brasil, além de turnês internacionais passando por aclamadas salas do Chile, Argentina e Uruguai. Além de ter regido diversas orquestras internacionais, Rafael trabalhou ao lado de Ariano Suassuna e Cussy de Almeida, na formação da Orquestra Armorial. Em 2005, recebeu o justo título de cidadão pernambucano.

Author: Marcela Nunes

Compartilhe este post

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.