Os cuidados com os beijos

Noticia

O mestre Adilson Torreão Filhno concorda com estas informaç~çoes sobre o beijo:

“Que beijo é muito bom, mais que mil é mais que bom”, todo mundo já sabe! Símbolo de afeto, carinho e amor, o beijo na boca é responsável por diferentes sensações químicas que trazem diversos benefícios para a saúde física e mental, mas também está diretamente ligado à saúde oral das pessoas. 
 

As mais antigas referências ao ato de beijar na boca vieram do Oriente, mais precisamente dos hindus, com um registro de aproximadamente 1200 a.C. Durante um beijo, o organismo libera hormônios como a ocitocina – que é um antidepressivo natural e combate sintomas como estresse, ansiedade e angústia – e a endorfina, que é responsável por sensações de satisfação e felicidade.
 

Por outro lado, a boca é um meio transmissor de doenças, por isso, a saúde oral é muito importante. E, quanto antes forem notados sintomas na região da boca, mais eficazes são os tratamentos. 

O cirurgião-dentista, sócio e diretor clínico da Signature Clínica Boutique, Dr. Andreas Koren, aponta as principais doenças – e seus sintomas – transmitidas pelo beijo.
 

Mononucleose: Também conhecida como “doença do beijo”. Os sintomas geralmente são mal-estar, dor no corpo, febre, dor de garganta e fadiga;

Herpes: São lesões na pele, geralmente na região dos lábios, com pequenas bolhas. Antes pode ocorrer coceira e ardor no local;
 

Candidíase: Também conhecida como “sapinho”. Pode aparecer placas esbranquiçadas ou avermelhadas na região da língua, bochecha e amígdalas;

Sífilis: Também pode ser transmitida pelo beijo, apenas se a pessoa possuir qualquer ferida na região da boca. Surge uma ferida pequena e se não for tratada pode evoluir para um caso mais grave trazendo sérias consequências cerebrais e cardíacas;

Dicas para curtir o Dia do Beijo tranquilamente 
 

  1. Mantenha uma rotina de higiene oral, com a escovação de forma correta e uso de fio dental;
  2. Consulte o dentista regularmente;
  3. Evite beijar muitas pessoas em um curto período de tempo. A exposição a muitos microorganismos diferentes pode favorecer a contaminação e proliferação de doenças;
  4. Ao menor sinal de pequenas lesões e alterações na boca, procure um profissional;

Siga corretamente os tratamentos prescritos. 

Author: João Alberto

Compartilhe este post

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.